Violência contra a advocacia: OAB/RS cobra apuração e participa de ato de solidariedade contra advogado que sofreu agressão, em Uruguaiana

Em menos de um mês, a advocacia gaúcha contabilizou mais um caso de agressão contra um advogado. No dia 6 de junho, o defensor de Direito, Rodrigo Vieira, em Uruguaiana, foi agredido e algemado por policiais da Brigada Militar do município durante o exercício de sua profissão. A estatística de agressão a advogadas e advogados, no Rio Grande do Sul, lamentavelmente vem aumentando. O episódio de Uruguaiana se soma aos casos de agressões a advogados e advogadas ocorridos nos últimos meses em Sapucaia do Sul, Tapejara, Rio Pardo e Sobradinho. Nesta terça-feira (17), o vice-presidente da OAB/RS, Jorge Luiz Dias Fara, e a presidente da Comissão de Defesa, Assistência e das Prerrogativas (CDAP) da OAB/RS, Karina Contiero, estiveram na subseção de Uruguaiana para um ato de solidariedade ao advogado agredido. O evento contou com advogados, presidentes de subseções e conselheiros da região da fronteira. O presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, na data específica, cumpria agenda do Colégio de Presidentes Seccionais em Brasília, de onde reforçou a posição de que a Ordem gaúcha irá cobrar a apuração dos fatos, pois está atenta às violações de prerrogativas da advocacia. “Mais uma vez recebemos esse triste fato que diz respeito a todos nós que advogamos diariamente, agressões que jamais deveriam acontecer”, enfatizou o dirigente. Durante o evento, o vice-presidente da OAB/RS, destacou que a defesa das prerrogativas é uma das principais bandeiras da instituição: “As prerrogativas são o que temos de mais caro e mais precioso. Desrespeitá-las é menosprezar a advocacia e a cidadania, pois nós somos a voz dos cidadãos. Não importa se é um profissional ou uma profissional experiente ou não. Estaremos vigilantes para o cumprimento dessas prerrogativas”, destacou. A presidente da CDAP enfatizou que a OAB/RS não aceitará esse tipo de atitude contra a advocacia: “O que buscamos na nossa gestão, em relação às prerrogativas, é a união da nossa categoria. Consideramos a defesa uns dos outros fundamental para que possamos continuar advogando. Buscamos justiça baseada no respeito e, pelo o que eu vi, faltou isso com o colega. A advocacia é fundamental para a nossa sociedade. E cada vez mais seremos”, disse Contiero. O caso Abaixo, o relato da agressão ocorrida, com as próprias palavras do advogado Rodrigo Vieira: A busca por justiça Com o objetivo de apurar e cobrar resolução no caso do advogado, o vice-presidente da OAB/RS, a presidente da CDAP na OAB/RS, o presidente da subseção de Uruguaiana, Maurício Blanco, e outros advogados, representantes da região da fronteira,   após o ato, foram até o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul (MPE/RS), a Delegacia de Polícia, a Secretaria Municipal de Saúde de Uruguaiana e a Brigada Militar conversar com os representantes das instituições do município sobre a ocorrência. O Promotor de Justiça, Vitassir Edgar Ferrareze; o delegado de polícia, Enio Tassi; o secretário de Saúde de Uruguaiana, Celso Duarte; e o comandante da Brigada Militar em Uruguaiana, tenente-coronel Antônio Felipe Zinga Júnior, se comprometeram em auxiliar nas apurações do caso e trabalhar para que situações como essa não ocorram mais.  Segundo a presidente da CDAP da OAB/RS, será feita uma instrução do que foi apurado durante a visita à Uruguaiana e aguarda-se, neste momento, as apurações das entidades envolvidas: “Iremos fazer um parecer opinativo, com base em todas as provas colhidas no município e com o que há no requerimento. Após o encaminhamento e o recebimento do parecer do conselho, será definido se a situação resultará em um desagravo”, disse.  
19/06/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia