OAB/RS lança projeto Mulheres de Ordem nas Praças

A Comissão da Mulher Advogada da OAB/RS (CMA) lança o projeto: Mulheres de Ordem nas Praças. Ele tem o objetivo de promover um encontro entre as integrantes da comissão com a população em praças e parques de Porto Alegre para tratar de temas como: violência contra a mulher e voto consciente. O primeiro local de encontro será no próximo sábado (15), próximo à Usina do Gasômetro. O presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, afirma que a situação da violência contra a mulher no Brasil está ligada de forma intrínseca a uma base cultural: “Um dos pilares para a mudança desse panorama é a conscientização da sociedade, o que presenciamos, cada vez mais, por meio de campanhas educativas e movimentos publicitários”, falou. De acordo com a presidente da CMA, Beatriz Peruffo, a iniciativa é de extrema importância para a sociedade: “Queremos estar próximas da cidadania. Para isso, iremos realizar esse trabalho de conscientização da violência contra a mulher, do empoderamento feminino e do papel da mulher na sociedade”, disse. “Iremos abordar também a Campanha Vote Consciente promovida pela OAB, a qual tem como objetivo fazer com que pensemos e pesquisemos sobre os candidatos que estão concorrendo nas eleições de 2018. O voto é importante e precisamos exercê-lo com consciência”, concluiu. Para a coordenadora do GT Mulheres de Ordem na Praça, Joice Raddatz, o projeto é importante para a conscientização da população sobre os temas: “A comissão tem feito persas ações em escolas e centros de convívios para alertar sobre a violência contra mulher e sobre como fazer denúncias. Esse projeto busca uma aproximação com a população como forma de união entre o lazer e a conscientização”, disse. “As integrantes e os integrantes da comissão estarão à disposição para conversar, mostrar o que a seccional gaúcha tem feito contra os abusos, a violência contra a mulher e a violência infantil”, destacou. Joice ainda lembra da importância do voto para o exercício da cidadania: Esse tema também irá ser abordado, pois o voto tem consequências que podem ser boas ou ruins no futuro, e com esse projeto poderemos também abordar o assunto com a cidadania”, comentou.
12/09/2018 (00:00)
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia